Cultivar novas amizades renova a vida

Tempo de leitura: 5 minutos

A história de hoje aconteceu durante um evento para motociclistas, que aconteceu em setembro de 2019, na cidade de Socorro, no interior da cidade de São Paulo: o BMW Motorrad Days Brasil, um encontro de fãs e proprietários de motocicletas da marca.

Tinha de tudo um pouco, exposição de modelos de motos novas e antigas, desfiles de roupas para motociclistas, além de espaços de gastronomia e exibições de manobras com motociclistas.

Eu e meus amigos motociclistas fomos conferir as novidades de perto e a Grand Brasil, a oficina que cuidava das revisões das minhas motos, estava participando do evento. Foi no quiosque deles que eu conheci Tiago.

Um colega nosso estava com a moto pifada e fomos até lá para cuidar da moto.

Enquanto esperávamos, um ficou zoando com o outro, “você não cuida da sua moto, por isso que acontece essas coisas…”; “toma cuidado com esse cara, porque ele não paga…”,  e foi em meio a esse clima descontraído que Tiago entrou na conversa, porque ele que estava fazendo o atendimento.

E já à primeira vista nos gostamos, porque Tiago além de comunicativo, era bem-humorado, inteligente e muito educado.

Dois meses depois, no fim de novembro, eu viajei com os meus amigos para o sul do Brasil e ainda a caminho do nosso destino sofri uma queda da moto, ganhei alguns arranhões e tive que voltar para casa.

Como a moto se machucou mais do que eu, o seguro a encaminhou para a oficina para orçar o tamanho do estrago e dias depois eu fui à oficina e reencontrei o Tiago, só que dessa vez estava com vários hematomas pelo corpo e o papo se estendeu mais, pois contei os detalhes do acidente que havia sofrido, dos planos de trocar aquela moto com o reembolso do seguro e o orientei sobre as coisas que queria tirar da moto acidentada.

Tempo passou, veio a pandemia, eu me recolhi em Guararema e dias atrás, a luz que indica que está na hora de fazer a revisão da moto se acendeu e tive que mandá-la para a oficina. 

Quando esse tipo de coisa acontece, eu sempre chamo um outro amigo de muitos anos, o Xandão, que passa em casa, pega a moto e cuida de tudo para mim. E assim aconteceu. Como a revisão precisava ser feita pela BMW, ele a levou para a Grand Brasil e quando ficasse pronta, ele iria buscá-la.

Mas eis que nesse interim, quem me manda uma mensagem no meu WhatsApp?

Ele mesmo! O Tiago!

_ Seu Dante eu gostaria de falar com o senhor!

Eu liguei para ele, perguntei se estava precisando de alguma coisa e ele respondeu “não, eu só queria saber quando que o senhor pode vir buscar a moto…”

Eu respondi que na verdade, quem iria buscar era o Xandão, mas que eu poderia ir no dia seguinte, sem problema algum.

E assim aconteceu.

No dia seguinte, quando eu fui à oficina para pegar a moto, assim que me viu, Tiago fez uma tal festa, que vocês nem podem imaginar.

_ Nossa, seu Dante! Que bacana vê-lo assim tão animado com a sua moto. Não imaginei que fosse continuar pilotando motos depois de tudo isso que aconteceu com o senhor.

_ Imagina! Foi só uma escorregada, sem ferimentos graves. Não é motivo para que eu não queira mais andar de moto.

_ Seu Dante, posso fazer uma pergunta, afinal de contas, quantos anos o senhor tem?

Quando eu disse que tinha 81 anos, Tiago mal conseguia disfarçar a surpresa.

_ Que coisa boa, porque a sua moto está revisadíssima, toda sorridente à sua espera. Vamos tomar um café?

_ Só se for agora!

E engrenamos em uma prosa boa!

_ O senhor sabe que eu gosto muito de ver uma pessoa com a idade que o senhor tem, com todo esse entusiasmo em andar de moto? Acho inspirador!

_ De fato, não é muito comum, mas eu me sinto muito bem em cima de uma moto e essas vontades são inerentes à nossa idade. Dependem da nossa percepção de nós mesmos. Se sentimos que estamos bem e podemos fazer algo, não tem porque não seguirmos o nosso instinto.

_ Genial!

_ Claro que tem uma dor aqui, outra acolá, mas isso aí, a gente supera!

Na verdade, Tiago ficou abismado que mesmo aos 81 anos, depois de ter caído e me machucado, tenha optado por comprar uma moto nova e já rodado o suficiente para fazer uma primeira revisão. (Imagina se ele tivesse me conhecido tempos atrás, quando eu fazia cerca de 3000 quilômetros por mês!)

Esteja aberto às novas amizades, criar novas conexões é fundamental para vivermos de bem com a vida

Esta história com o Tiago serve para ilustrar muito bem como é fácil, gostoso e espontâneo estarmos abertos para as pessoas que chegam em nossa história e para isso acontecer, basta que tenhamos uma atitude concreta de ir nos deixando ser cativados e também cativar. Valorizar quem quer estreitar laços com a gente. Ter INTERESSE GENUÍNO em ouvir o que as pessoas querem nos dizer, interagir com elas, ter e provocar empatia.

Criar uma nova relação de amizade é um vínculo que se escolhe, por isso faz tão bem!

Como somos seres transitórios, precisamos nos esforçar para criar novos laços em todas as épocas da nossa vida e em todas as ocasiões que surjam oportunidades de interação com outras pessoas. Formar relações diferentes, conversar sobre temas inusitados, deixar as pessoas contarem suas histórias é um exercício que oxigena nossa mente e amplia nossa visão de mundo.

Eu sempre gostei muito de fazer isso, gosto de tratar todo mundo bem e recomendo que todos vocês também façam dessa forma, pois, criar e cultivar novas amizades nos faz crescer mais emocionalmente, traz novas alegrias e faz muito bem para a saúde. RENOVA A VIDA!

Vale experimentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *