2019 está chegando…vamos recebê-lo com otimismo

Tempo de leitura: 3 minutos

Como já disse no post anterior, eu estou torcendo muito positivamente para que Bolsonaro e sua equipe acertem a dosagem para sarar os males do nosso país e acredito que a prioridade número 1 deles é fazer a roda da economia girar para abaixar esse índice exacerbado de desemprego que infelizmente alcançamos.

O país precisa urgentemente amenizar essa desigualdade social que o PT divulgou aos quatro cantos que tinha domado e que, na realidade, só fez foi elevar à patamares que nem sei como classificar.

O Brasil precisa se desenvolver, as empresas precisam retomar sua capacidade de abrir novas vagas de empregos, a educação precisa de uma gestão competente, a economia precisa motivar e incentivar que surjam novos empreendedores, que os pequenos comerciantes informais possam enxergar possibilidades de crescer e profissionalizar os seus negócios.

Como vocês acham que nasceu a fábrica Ramenzoni de chapéus há 124 anos?

De uma pequena produção artesanal de chapéus feita em casa, a exemplo de tantos brasileiros que iniciaram seus primeiros negócios da maneira como podiam ou as circunstâncias exigiam e depois que começaram a gerar vendas, foram crescendo, aprimorando a forma de trabalhar e alavancando novos ganhos.

Foi assim com a Apple, com o Facebook, com a Amazon, com a Honda, com o Grupo Pão de Açúcar, com as lojas Renner e com a Ramenzoni, que depois se transformou na Papirus, uma indústria de papel cartão inovadora, à frente de seu tempo, que honra a origem do meu sobrenome e é motivo de orgulho para o país na qual está sediada.

Negócio precisa cumprir um ciclo evolutivo!

Por exemplo: uma pessoa atua como sapateiro por um tempo, mais à frente pega o jeito da coisa e começa a fabricar sapatos, os outros sapateiros vão trabalhar nessa nova pequena fábrica para ganhar um pouquinho mais e alavancar a produção. O negócio cresce, gera mais postos de trabalho, busca novos campos de atuação e a sinergia da prosperidade vai alcançando novas pessoas.

É assim que funciona em qualquer área de atuação.

Na gestão Bolsonaro esses pequenos negócios precisam ser impulsionados e a educação precisa acompanhar, disponibilizando um ensino de melhor qualidade e alcance. Já passou da hora das escolas projetarem uma grade curricular mais útil e condizente com os novos tempos e as novas tendências. Precisamos de escolas com didáticas mais certeiras, objetivas, práticas e que, de fato, formem profissionais mais capacitados.

Esse cenário precisa mudar! Chegou a hora de fazer uma faxina “na casa”!

A escola precisa formar pessoas para saberem se virar na vida, com o pensamento de querer pescar, e não ganhar o peixe e só colocar na brasa.

O lado bom é que o brasileiro, de uma forma abrangente, está receptivo para as mudanças que precisam ocorrer no país. Diria que estamos todos de dedos cruzados. Brasileiros de todas as idades, profissões, credos, etnia. Empresariado incluso.

Eu na frente da fila! A equipe da Papirus seguindo na mesma direção.

E vamos que vamos, porque 2019 está batendo na porta e vai entrar com o pé direito. Sem trocadilho!

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *