Eu acredito no Brasil

Tempo de leitura: 2 minutos

Seguindo o legado dos Ramenzoni, eu continuo acreditando no potencial do Brasil

Quando a gente coloca o pé na estrada e anda por esse Brasilzão como eu sempre fiz e faço, o que vemos é um povo guerreiro, que acredita que o país é celeiro fértil e que está se conscientizando da importância de uma integração mais consciente e preservadora dos recursos da natureza para melhorar as condições de sobrevivência na terra em que se vive.

Nessas minhas últimas andanças de moto até Buenos Aires, mais uma vez pude comprovar, até com certo deslumbramento, que tem muita coisa boa e produtiva acontecendo no Brasil.

Quando penso na beleza da Serra do Rio do Rastro (que tem fotos lindas no meu livro) e que quase ninguém conhece apesar da paisagem magnífica, dos hotéis maravilhosos instalados na região, penso que ainda tem muita coisa a ser feita e muito a realizar. É vital que novos empreendimentos sejam criados para gerar novos empregos, porque uma coisa é certa, se não gerarmos oportunidades de trabalho, novas oportunidades de atuação, quem ganha espaço é a bandidagem e o oportunismo .

Meus antepassados sempre acreditaram no potencial do Brasil, eu sigo no mesmo ritmo e espero que meus descendentes continuem esse legado de empreendedorismo, porque como dizia meu pai, aqui tem tudo, petróleo, comida, solo fértil, vontade de trabalhar e crescer (os números amistosos do agronegócio, da exportação de grãos e outros tipos de alimentos, gado estão aí para quem quiser comprovar), mas ninguém divulga essas coisas porque a corrupção, a roubalheira e o descaso dos políticos ocupam todas as pautas da mídia de massa.

Mas a iniciativa privada está empreendendo cada vez mais, montando estruturas potentes, inovadoras, agregadoras. Eu faço parte desse time há 58 anos e pretendo ainda realizar muitas coisas.

As meditações realizadas durante a viagem de motocicleta que fiz para Punta del Este já começam a sinalizar alguns resultados mais concretos: estou pensando seriamente em montar um campo de energia solar. Mais precisamente, uma fábrica de energia solar.

Eu quero construir um novo negócio para deixar para os meus herdeiros e entendo que vender energia solar é algo muito promissor, pois trata-se de um elemento que será sempre muito necessário para fazer a roda girar e o Sol, bem o Sol sempre vai existir.

O país voltou a crescer, é o momento ideal para empregar energia solar numa escala muito maior, com o crescimento de novos empreendimentos.

Quero gerar energia para o consumo próprio e a excedente vai entrar novamente na rede principal e ser comercializada para novos fornecimentos. O terreno eu já tenho e foi uma herança do meu pai.

Já comecei a conversa com alguns experts, vou fazer algumas simulações de números para poder analisar e espero que a vontade se transforme em ação.

Vamos ver o que acontece.

 

 

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *