Diversidade de conhecimento é poder e para se destacar na vida precisa ser bem informado

Tempo de leitura: 4 minutos

Sempre arranjei tempo para buscar informação onde quer que ela estivesse e continuo fazendo questão de estar por dentro de tudo o que está acontecendo, na política, na economia, nos negócios, na área esportiva, na cultura e no entretenimento.

Tenho verdadeiro prazer em me atualizar do que é notícia aqui no Brasil e no mundo todos os dias, porque considero isso uma vantagem competitiva que eu tenho em relação as outras pessoas, porque como todos sabem, eu tenho 79 anos e esse tempo faz a diferença na compreensão das coisas que nos cercam.

Todas as manhãs, bem cedinho, eu começo o dia lendo as notícias de 2 ou 3 jornais impressos, porque sou fabricante de papel, então não poderia ser diferente.

Depois, eu assisto os noticiários matutinos, intercalando as emissoras de minha preferência (à noite, faço a mesma coisa!), ouço rádio no carro, leio revistas semanais, setoriais da minha área de atuação profissional e de management e, à medida que vou me atualizando dos fatos, vou dosando as informações, sempre sintonizado na minha sensibilidade apurada e nas minhas vivências, que à esta altura do campeonato, são bem extensas e excelentes sinalizadoras das conclusões a que chego e que me norteiam nas inúmeras decisões estratégicas que preciso tomar em relação aos negócios, aos investimentos e a minha vida pessoal.

Eu acompanho o trabalho dos jornalistas, analiso os fatos, estabeleço comparativos com outros mais antigos que tenham semelhanças com os atuais, interpreto os variados pontos de vista e então chego ao meu consenso final sobre os assuntos em pauta.

E aqui vai uma curiosidade interessante sobre essa minha sede de informação, que eu conheço muitas pessoas que não possuem essa mesma habilidade: eu presto atenção no que os apresentadores dos telejornais estão falando, ao mesmo tempo que estou lendo uma revista, um livro ou um jornal e se for preciso ainda respondo os meus e-mails e respondo mensagens mais urgentes do WhatsApp. Tudo ao mesmo tempo e sem perder o foco e muito menos o fio da meada.

Com o WhatsApp, eu procuro estabelecer horários do dia para verificar as novidades (como vocês bem sabem, são inúmeros vídeos e novidades que a gente recebe a todo momento) e também para responder e enviar mensagens importantes, porque se não fizer esse policiamento, vem aquela tentação de ficar olhando toda hora e isso, além de fazer perder tempo, contraria quem estiver por perto, principalmente os familiares, que querem conversar e a gente lá, com os olhos coladinhos na tela do smartphone.

Claro que nesses tempos de geração internet, as pessoas cada vez mais estão fazendo um monte de coisa ao mesmo tempo, mas eu percebo que a retenção de informação é bem pequena, há muita dispersão.

Com certeza, essa curiosidade de estar sempre em busca de novas informações sobre a realidade do mundo que me cerca e sobre as pessoas que transitam na liderança desse mundo real, eu herdei do meu pai.

Ziro Ramenzoni se fechava na biblioteca da nossa casa na Rua dos Franceses e lia três, quatro livros ao mesmo tempo, recortava as notícias do jornal que despertavam sua curiosidade para um maior aprofundamento e, dessa forma, ia se tornando alguém à frente do seu tempo, até nas pequenas atividades do dia-a-dia.

Outro diferencial que fez e faz a diferença nas minhas percepções de vida é ouvir e interpretar o que as pessoas falam diretamente comigo ou com outras pessoas que estejam no meu raio de atenção. Isso sempre foi de muita valia na minha vida, desde os meus tempos de criança, quando adorava conversar sobre assuntos variados com pessoas mais velhas do que eu.

Sim, eu presto muita atenção nas minhas conversas sobre os mais variados assuntos, sejam referentes a fatos passados, da atualidade ou previsões para o futuro. Registro tudo o que me interessa e o que não interessa eu deleto.

Por que eu valorizo tanto a diversidade de informação?

Porque quando juntamos todas as informações que apuramos, dificilmente a gente erra muito, por que fica mais fácil criar os diagnósticos do que vai acontecer e o feeling vai ficando cada vez mais apurado.

6 Comentários


  1. Parabéns parceiro pelas mensagens e pelo seu raciocínio. Por isso eu o chamo de meu Ídolo.

    Responder

    1. Caro amigo, Vasques
      Obrigado pelo comentário tão gentil.
      Quanto ao que você disse a meu respeito, já me disse pessoalmente e saiba que me sinto muito grato.
      Abraço.

      Responder

  2. Dante o eclético.
    Tão generoso que não se esquiva de compartilhar sua experiência de vida com os mais jovens ou menos experientes.
    Abração
    Jera

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *