Pontos de atenção rumo aos 120 anos

Tempo de leitura: 7 minutos

Como já disse no post anterior, a minha grande meta de vida atualmente é chegar aos 120 anos com saúde.

Isso para mim não é um sonho, mas um propósito, que eu de fato acredito ser plenamente viável, desde que mantenha-me de bem com vida e continue intensificando os cuidados com alguns pontos de atenção no meio do caminho.

Alguns desses pontos, como PARAR DE FUMAR, por exemplo, eu já fiz desde os 40 anos e foi uma atitude das mais certeiras que tomei na vida.

Mas a questão central, porém, é: viver muito depende principalmente de como você vive.

Então, resolvi elencar outros pontos de atenção; primeiro como forma de ter esse texto sempre próximo dos meus olhos e segundo, porque entendo que se faz bem e traz bons resultados para mim, é algo que preciso compartilhar para ajudar às outras pessoas também!

Então, papel e lápis na mão, ou bloco de notas do smartphone aberto, porque algumas coisas que vou colocar aqui, parecem óbvias, todo mundo sabe, mas… nem todo mundo pratica!

Assim sendo, não custa você anotar algumas das minhas observações, feitas no decorrer dos últimos 81 anos, para de vez em quando dar uma olhada e verificar quantos desses pontos de atenção você está dando a devida atenção.

O primeiro item da minha lista é ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Será que é possível cumprir esse tópico comendo o que a gente gosta?

Felizmente há 25 anos eu casei com a Cidinha! Ela é uma verdadeira pesquisadora de tudo o que se relacione com o tema Saúde e cuida com o maior esmero possível da nossa alimentação, que eu considero bem saudável e os meus exames periódicos vêm confirmando essa minha afirmativa.  

Alimentação saudável e apetitosa combinam?

Com a Cidinha no comando, sim, porque ela cuida para que seja balanceada, com muitos legumes, frutas, fibras; proteína animal e vegetal; carboidratos na medida certa e pouca gordura.

Eu sempre digo o seguinte: eu como de tudo um pouco, sem exageros, e algumas vezes acompanhado de um bom vinho ou precedido de uma dose de uma cachacinha de qualidade, porque se dá prazer, dá saúde.

E por que eu não exagero? Por que quando faço isso, não me sinto bem, o que significa que o organismo está me enviando sinais para maneirar nas escolhas nutricionais. Às vezes, ele parece me dizer “opa, Dante, para por aqui ou teremos sinal vermelho…”

Hoje em dia, raramente deixo de fazer as minhas refeições em casa e isso é imprescindível para o meu bem-estar, principalmente porque fazendo dessa forma, consigo “tirar” a minha sonequinha depois do almoço e isso passou a me fazer muito bem depois dos 60 anos.

(Mesmo quando eu estou viajando de moto com os meus amigos, a gente dá um jeitinho de procurar um cantinho tranquilo, de preferência em meio à natureza, para dar uma relaxada após o almoço, por pelo menos 15 minutos.)

Outro ponto de atenção que não me descuido é ISOLAR A TRISTEZA DA MINHA VIDA, porque essa danada encurta o nosso viver.

Sempre que eu sinto a tristeza querendo se aproximar de mim eu dou um chega pra lá nela rapidinho. Não guarde tristezas! Valorize todos os momentos alegres que puder viver.

MANTER UMA VIDA SOCIAL ATIVA, de preferência cercando-se de pessoas positivas, de energia alta. Uma forma de conseguir isso, independente da idade, é fazer parte de grupos que curtem fazer uma mesma atividade.  

Eu sempre gostei de participar de grupos com interesses comuns, porque além da oportunidade de compartilhar experiências, a gente sempre aprende coisas novas e também porque quem faz o que gosta, sempre consegue enxergar o lado positivo das coisas. Assim eu já tive meu grupo de praticantes de vela, quando esse esporte aquático fazia parte do meu dia-a-dia; grupo de criadores de gado Guzerá, quando eu investi no agronegócio e me tornei um próspero fazendeiro; grupo de motociclistas, que eu viajo mundo a fora e nunca volto a mesma pessoa, pois acrescento novos aprendizados.

Alguns dias, quando bate aquele desânimo para sair de casa, eu levanto, me olho no espelho e digo “Vai sair, sim! A vida está te chamando!” E eu me obedeço!

VIVER COM PROPÓSITO. Propósitos mudam ou são os mesmos no decorrer da vida?

Na minha opinião eles estão em constante mudança ou adequação. Cada ciclo de vida que passa, nós vamos nos aprimorando e isso é o fator principal da mutação das nossas escolhas.

Vamos conhecendo coisas novas, pessoas novas e, dessa forma, alinhando e renovando os propósitos àquilo que é melhor para o nosso bem-estar, para a nossa idade, para a nossa mente, para o nosso corpo e por aí vai.

Quando se tem 20 anos, queremos TUDO e com o passar do tempo, principalmente depois da chegada dos filhos, vamos aprendendo a dosar relacionamentos, carreira profissional e ambições de acordo com os nossos propósitos. Esse equilíbrio é imprescindível para vivermos em paz.

CONTROLE DO ESTRESSE. Existem alguns truques para amenizar o estresse e praticar exercícios físicos com frequência é o primeiro da fila, pois ajuda a afastar esse inimigo número um da longevidade do caminho.

Praticar ioga também me ajudou a esvaziar a mente e relaxar todas as partes do corpo quando vivia cercado de estresse por todos os lados, na época em que presidia a empresa da família e precisava contornar os conflitos familiares que provocavam alguns desgastes e dissabores.

(Todas as famílias, de uma maneira geral, são parecidas, têm os mesmos problemas, portanto muitos de vocês já passaram por isso e sabem que alguns problemas nós conseguimos resolver, outros não, e a vida segue!)

E foi assim, em meio à pressão para resolver 1001 problemas, que aprendi algo muito simples e importante: quando “limpamos os nossos entulhos mentais”, “nossos pensamentos tóxicos”, controlamos o estresse.

O estresse é uma espécie de lixo mental, que precisa ser limpo por que causa incômodo nos pensamentos, dores físicas e até provoca sérias doenças.

E a melhor forma de combatê-lo é meditar e visualizar a lata do lixo em que você vai depositar todos esses entulhos que incomodam e seguir em frente com positividade e autoconfiança no seu poder de realização.

Hoje quando tem algo me incomodando, eu pego a minha moto e vou passear, porque consigo relaxar completamente. 

Também não fico sem fazer meus exercícios físicos! Diariamente faço longas caminhadas, alongamentos e não vejo a hora dessa pandemia passar para retornar minhas aulas de pilates.

EXERCITAR A MEMÓRIA. Com o passar dos anos, é comum que tenhamos dificuldades de lembrar de algumas coisas.  

Mas será que é possível amenizar esse impacto do tempo?

Eu digo que sim e escrever histórias atuais e também do passado ajuda bastante a trabalhar a mente. Esse blog é um bom exemplo de como ando trabalhando a mente com disciplina e comprometimento.

E… AMAR! Sem amor a vida fica vazia, sem sentido.

O relacionamento afetivo-amoroso fortalece os vínculos, o companheirismo e a intimidade entre os casais.

É tão bom ter com quem confidenciar os nossos sentimentos, pensamentos, preocupações e sonhos futuros. Também é muito bom poder trocar ideias, concordar, discordar, refletir melhor sobre as coisas, às vezes ter uma discussão mais acalorada, depois fazer as pazes… (Risos!)

Amar e ser amado, em qualquer idade, faz com que a gente se sinta mais feliz, remoçado, motivado e ainda desperta a vaidade que, muitas vezes, se perde um pouco ao longo da vida, mas é tão importante para a harmonia do corpo e da mente.

E vamos em frente, rumo aos 120 anos, entusiasmado com a vida, porque ainda tenho muitos projetos em andamento e eu quero é mais! (Dentro de mim, mora um menino!)

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *