Trabalhar com entusiasmo e dedicação contagia e inspira quem está por perto

Tempo de leitura: 3 minutos

Hoje vamos falar de uma pessoa que ocupa uma posição de muita importância e destaque na Papirus: Antônio Pupim, nosso diretor industrial, supply chain e membro do colegiado administrativo da empresa.

Não tem como falar de Pupim e não citar Francisco Camacho, que já não trabalha conosco há muitos anos, mas deixou sua marca registrada de competência, integridade, seriedade, responsabilidade absoluta na gestão da cadeia de suprimentos da empresa e conseguiu implantar esse DNA em todos que compunham a sua equipe de trabalho, da qual o Pupim fazia parte nos seus primeiros anos de empresa.

Para vocês terem ideia da importância que atribuo ao setor de suprimentos dentro de uma empresa, se fizéssemos uma analogia com o corpo humano, seria certamente o coração, pois bombeia energia (sangue) para todos os vasos sanguíneos (demais setores da empresa).

Pupim foi um aluno muito aplicado e aprendeu com o Camacho todas as virtudes e atribuições importantes que um funcionário de alta performance do departamento de compras (antigamente era assim que era chamado esse setor da empresa!) precisaria para ter excelência no exercício de suas funções. Diria que ele sempre aprendeu muito além do esperado, o que o transformou em um expert de todos os departamentos da organização!

Tivemos muitos altos e baixos nesses 38 anos em que ele faz parte da nossa equipe (às vezes tínhamos aumento de preços duas vezes por mês!)  e posso dizer que nunca lhe faltou entusiasmo, garra, positivismo em seus posicionamentos, o que muito ajudou aos seus superiores e fez com que fosse galgando várias posições por merecimento próprio, aliando a aprendizagem prática com o conhecimento acadêmico, com o índice de interesse lá nas alturas.

O que ele tem de diferente?

Ele sempre desempenhou suas funções como se fosse o dono da empresa!

Vou dar um exemplo na prática: por várias vezes, quando decidíamos montar máquinas novas e precisávamos adquirir equipamentos de alto custo, ele negociava com pulso forte para que fizéssemos uma experiência de x meses para ver se alcançaríamos o êxito planejado. Se desse certo, a compra seria realizada, caso contrário, os equipamentos seriam desmontados e devolvidos.

Esse é um grande diferencial, gostar da empresa em que se trabalha como se fosse o empreendedor do negócio. Vestir a camisa. E nesse ponto ele veste inclusive a camisa do time de futebol da Papirus e bate um bolão até hoje, às quartas e sábados. (Paixão antiga!)

(Nos anos 90, Pupim foi presidente do Grêmio Desportivo da Papirus e foi um grande incentivador para que os funcionários participassem dos campeonatos de futebol de campo e salão realizados entre as fábricas da região de Limeira.)

Outra coisa que percebo é que ele sempre trata os seus subordinados com leveza, com respeito e dignidade, tal e qual eu sempre fiz, porque assim aprendi com o meu pai. Essa característica de se interessar pelas pessoas é fator preponderante para uma trajetória profissional de sucesso.

(Aqui também vale registrar os sopões que fazíamos às quartas-feiras na fábrica da Papirus e que os funcionários, impulsionados pelo entusiasmo do Pupim, pela boa prosa que ia rolar e, claro, pela pinguinha de boa qualidade, participavam com muito gosto!)

Hoje, além da carreira executiva na Papirus, ele também está cultivando alimentos orgânicos, um segmento que está crescendo bastante e da qual, tenho certeza, vai colher bons frutos. Literalmente!

Às vezes uma imagem vale mais que mil palavras
(Esq./Dir.) Vitoria, Amando, Bernadete e Pupim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *