“Fuja das pessoas negativas”

Tempo de leitura: 6 minutos

O título desse post está entre aspas porque se trata de uma frase que ouvi do meu pai em inúmeras ocasiões, desde a minha adolescência.

Meu pai não era muito de conversar, mas sim de muito observar; quando ele percebia que havia alguma coisa estranha nos circundando, ele chamava a mim e aos meus irmãos para uma conversa mais aprofundada.

Um dia, por volta de meus 15 anos, ele nos chamou para falarmos sobre as escolhas que precisamos fazer em nossas vidas para obtermos sucesso. Ele sabia que eu levava muito a sério essa questão de ser bem-sucedido e que poderia contribuir com sua experiência para que eu alcançasse meus objetivos, mesmo sendo ainda um jovem aprendiz.

Naquela época existia uma expressão muito usada que era “no fim vai dar tudo certo, e se não der, vai acabar tudo em pizza.” Meu pai nunca foi adepto desse parecer e nesse dia da conversa, ele nos disse “vocês precisam prestar atenção porque existem pessoas positivas e negativas…”! Dito assim dessa forma, eu não estava conseguindo alcançar onde ele queria chegar, então pedi que explicasse melhor.

Ele foi complementando: “Não é difícil, vocês podem começar observando na sala de aula, as pessoas que têm interesse de aprender e as que não estão nem aí para evoluir no aprendizado. Procurem estreitar o relacionamento com quem se esforça em ampliar o conhecimento, por quem tem curiosidade de saber algo a mais do que é ensinado; porque essas sim, serão pessoas capazes de pensar com maior clareza de pensamento e, portanto, terão capacidade de alçar voos mais elevados.”

Percebam que ele se preocupava que nós ficássemos atentos ao comportamento dos nossos colegas de classe porque nós estávamos em contato com eles todos os dias, então poderíamos nos influenciar positiva ou negativamente.

Nós terminamos o colégio, passamos para a universidade, concluímos nossos cursos superiores de acordo com as nossas tendências e ele seguia observando as nossas escolhas de amizade e opinando de acordo com suas percepções: “queiram sempre ao lado de vocês pessoas que possam acrescentar novos conhecimentos… pessoas que vivam correndo atrás de resultados positivos, porque as que ficam pacientemente esperando para ver o que vai acontecer no desfecho, são homens e mulheres que não costumam protagonizar finais muito felizes na vida pessoal e muito menos no trabalho.”

E também costumava nos orientar para que ficássemos atentos à forma de se comunicar das pessoas, porque, independente do tema da conversa ou do status social, a fala das pessoas positivas sempre se diferenciaria das demais  por conter palavras e expressões autoconfiantes, alegres e por isso nos transmitiriam uma sensação de leveza, proatividade e otimismo.

Essas foram as orientações que me guiaram a vida inteira desde que as recebi de meu pai e até hoje parecem ecoar nos meus ouvidos.

Apesar de todo esse aconselhamento do meu pai, será que eu deixei de encontrar pessoas negativas no decorrer da minha vida?

Claro que não! Encontrei e muitas, mas sempre procurei resolver os problemas trazidos por elas de uma maneira positiva, mesmo que econtinuassem persistindo em colocar novos problemas para cada solução que eu apresentasse. Eu nunca permiti que essas pessoas interferissem na minha energia interior positiva e não me arrependo, pois dessa forma consegui obter êxito em muitas empreitadas que pareciam não ter solução. 

Pessoas negativas parecem ter medo do sucesso e dessa forma se distanciam cada vez mais da realização pessoal e profissional.

Como fazer para identificar se estou frente a frente com uma pessoa negativa?

Bom, eu tenho algumas dicas!

As pessoas negativas estão sempre falando sobre como as coisas estão ruins, mas não fazem nada para resolver.

Elas adoram falar aspectos negativos do trabalho e de como tudo poderia ser diferente, mas não fazem nada para mudar a situação profissional.

Sempre que alguém começa a falar sobre algo negativo, eu desvio de assunto e falo algo positivo, de preferência que provoque um sorriso.

Se encontro alguém que vive se queixando da vida, das dores que sente, da mulher que vive reclamando de tudo, dos filhos que só aprontam, eu digo: “Agora me fale sobre algo positivo, algo de bom que aconteceu com você hoje!”

Isso faz com que essas pessoas comecem a se tocar e a lembrar do quanto estão sendo negativas. Muitas vezes elas não percebem o que se tornaram, então acaba virando um “estilo de vida” para elas.

E tem uma outra coisa bem importante: se você focar no lado positivo das coisas e filtrar as companhias que quer por perto, evitando se conectar com pessoas de energia negativa, elas simplesmente não irão te afetar.

Seguindo a linha do meu pai, ele tinha um truque infalível para começar o dia focado na positividade; seu Ziro dizia que assim que pulássemos da cama, devíamos procurar o espelho mais próximo e dar uma bela de uma gargalhada para nós mesmos. Eu já usei desse truque várias vezes e posso garantir que é impossível começar o dia de mau humor seguindo essa dica.

Em italiano tem uma palavra que define muito bem a pessoa que está sempre de mal com tudo e com todos: malmostoso, e uma coisa é certa nessa vida, fuja desse tipo de pessoa! (Especialmente se você quiser viver de bem com a vida e alcançar sucesso nas suas escolhas!)

Um exemplo de positividade que contagia: experimente fazer programas agradáveis com amigos que possam acrescentar conteúdo novo e positivo!

Quando eu estava cursando os dois últimos anos do colégio Dante Alighieri, o professor Ariosto Giaquito, que lecionava História Geral e do Brasil e o professor de Matemática, Sérgio Sonino, duas pessoas muito cultas e bem-humoradas, costumavam me convidar e a alguns outros amigos para irmos juntos à Pizzaria 900, localizada no Brás, perto do Gasômetro.

Íamos no carro do professor Ariosto, oito pessoas em único carro! Então vocês podem imaginar a farra que nós fazíamos, as piadas, a descontração.

Eu adorava quando chegava o dia da semana de fazer esse programa porque além da diversão garantida, eu também aprendia muitas coisas diferentes, porque as conversas giravam em torno de temas variados da atualidade da época, então falávamos um pouco de tudo, política, esportes, reportagens das revistas/jornais e com isso minha positividade só fazia crescer, porque esses professores me contagiavam com os olhos positivos que enxergavam o meu futuro e com a fala de acolhimento aos meus questionamentos juvenis. 

(PAUSA.)

Foram tantas pessoas otimistas que cruzaram e continuam cruzando o meu caminho que só posso continuar firme na minha trilha de positividade, sendo sempre muito grato a Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *