Coincidências da vida

Tempo de leitura: 3 minutos

Edson Antoniolli, mais conhecido como Arigó, era professor de ginástica e gostava de cuidar dos seus alunos quando eles se machucavam. Ele recebeu esse apelido por causa do Zé Arigó, um médium que ganhou projeção nacional e internacional pelos tratamentos e cirurgias que realizava nas pessoas aflitas pela cura de seus males, nos anos 50 e 60.

Eu o conheci nos tempos em que frequentava assiduamente o Iate Clube Itaupu, quando meus filhos tinham entre seis e dez anos e ele veio me oferecer se tinha interesse em deixá-los participar dos acantonamentos que ele promovia nas férias e finais de semana prolongados.

O clube ficava ao lado da chácara da minha família e esses acantonamentos eram bem bacanas e providenciais pois a garotada podia desfrutar de atividades recreativas e esportivas, muito bem assistidos pelo Arigó e sua equipe.

A equipe era composta por pessoas especiais, entre elas: o irmão William, a mãe e também a esposa, Sandra Danoninho, que tinha esse apelido por não ser muita alta e, meio óbvio, trabalhar na Danone. Sandra participava ativamente das atividades desenvolvidas, quando estava de folga no trabalho dela.

Isso aconteceu por vários anos, meus filhos adoravam participar desses acantonamentos e as mães dos acantonados também adoravam fazer aulas de ginástica com o Arigó para manter a forma.

Vocês podem bem imaginar que em um trio de filhos, lógico que nem todos eram apaixonados pelos estudos… no caso, o Claudinho, meu filho do meio, não se simpatizava nada com Matemática, Português e começou a apresentar problemas de aprendizagem, de relacionamento com os colegas de turma e isso nos motivou a trocá-lo de escola para ver se as coisas melhoravam.

Cláudio sempre foi muito inteligente, mas era introspectivo, preferia ficar na dele, sem participar muito das aulas; por tabela, não conseguia alcançar a performance determinada pela escola.

Quando aconteceu a mudança de escola, qual não foi a nossa surpresa… o professor Arigó lecionava Educação Física na nova escola que o Cláudio foi estudar.

Coincidência melhor ou mais abençoada não poderia ter acontecido em momento mais oportuno. Claudinho se encantou em ter encontrado o professor dos acantonamentos na nova escola e ganhou fôlego para seguir nos estudos.

Arigó passava em nossa casa para levá-lo para a escola e na volta, no meio do caminho, eles sempre paravam para saborear uma melancia e se divertiam muito com esse programa.

Na verdade, Claudinho encontrou um motivo pra ir à escola com mais alegria e eu e minha esposa ficamos mais tranquilos, pois queríamos o melhor para o nosso filho e entendíamos ser primordial que ele concluísse o ensino fundamental para poder ingressar em uma faculdade, se aprimorar em alguma área do conhecimento.

E assim, Arigó se tornou um grande amigo do Claudio, incentivou-o a cursar a faculdade de Comunicação, que de alguma forma deve ter contribuído para que ele se tornasse um empreendedor de sucesso, com uma carreira vitoriosa à frente da Papel Ecológico.

Ele começou comercializando aparas de papel velho para produzir papel novo e a partir daí ele transformou a Papel Ecológico em uma distribuidora de papeis com excelente posicionamento no mercado e que já completou 25 anos de existência.

Em todo esse tempo, Arigó sempre esteve ao lado do Claudio, tornando-se um amigo querido dele e meu também!

Nós nos encontramos em vários eventos familiares e sociais, a exemplo da foto abaixo, quando ele e Sandrinha  foram prestigiar o lançamento da minha biografia.

A força e estímulo que Arigó deu ao meu filho foram providenciais, daquelas coincidências que não encontramos explicação e nem precisa de uma e através desse relato, quero destacar a minha amizade e gratidão por ele e deixar uma pergunta no ar: será que foi mesmo uma coincidência?

Essa foto, mais uma coincidência, expressa a minha gratidão ao amigo Arigó

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *