Operação resgate realizada com sucesso

Tempo de leitura: 3 minutos

Para começar nossa viagem de volta ao Brasil, eu e o Mario Zupo optamos em seguir para Montevideo fazendo a travessia do rio do Prata de barco. A única empresa que opera esta rota é a Buquebus e a viagem dura 2 horas e meia.

Embarcando no Buquebus

Manoel e Vasques seguiram por Colônia Del Sacramento, fazendo o mesmo caminho que o nosso grupo havia percorrido na ida.

Nos encontramos em Punta e passamos a noite lá. Saímos para jantar, comemos uma pizza deliciosa e então, no dia seguinte, 29 de janeiro, novamente na formação de um quarteto, pegamos a estrada rumo a Pelotas e rodamos mais ou menos uns 500 quilômetros.

O próximo destino foi Tubarão, cidade localizada no sul de Santa Catarina e que, por sorte, acabamos indo parar em um hotel que ficava a cerca de 10km do burburinho da cidade e assim ficamos distantes da poluição e deu para descansar sem grandes agitos.

No último dia de janeiro, cumprimos mais um trecho de 500 quilômetros e passamos a noite em Curitiba, debaixo de muita água que caía do céu e no dia seguinte, chegamos em São Paulo no final da tarde, também abençoados com muita chuva.

Em Registro, quase chegando de volta em Sampa. Eu, Zupo e os “resgatados” Manoel e Vasques
Fim de mais uma aventura com sucesso

Início de esquematização da próxima. Durante nossas animadas conversas nas paradas entre a ida e a volta dessa viagem que acabei de contar pra vocês, lógico que já começamos a alinhar o destino da próxima, que pretendemos fazer no inverno e o destino deverá ser Porto Seguro, porque temos um bom motivo para essa escolha.

Tem um amigo nosso, Geraldo Casado, que mudou-se para lá há alguns anos, que hoje não é mais motociclista, mas um artista muito talentoso, que pinta uns quadros belíssimos.

Geraldo viajou conosco para a Europa, Estados Unidos e é uma pessoa fabulosa, inteligente e acredito que vai ficar feliz com a nossa visita.

Meditações durante a viagem

Viajar de moto me faz muito bem e como já disse no meu livro, eu consigo entrar em sintonia com a minha natureza, com o meu eu mais sonhador. Não importa se a chuva cai, se o Sol brilha ou se o vento canta; eu só escuto a voz do meu coração. E é justamente nesses momentos de paz, de contemplação da obras de Deus que eu costumo meditar sobre aspectos da minha vida pessoal e também sobre os meus negócios, os que já existem e os que ainda pretendo criar. Aproveito a mente limpa para alinhar mentalmente os novos projetos que pretendo implementar, planejar os próximos passos, vislumbrar os possíveis cenários, analisar os parceiros que podem somar etc.

Dress code: motociclista feliz

Dessa vez não foi diferente, mas esse vai ser assunto para um próximo bate-papo, que eu espero poder revê-los, bem como responder aos comentários e apreciar opiniões.

Nos vemos em breve!

4 Comentários


  1. Felicidades Sr Dante … Grande abraço … Nogueira.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *